Há uma dimensão espiritual em todos nós

Aquela parte que procura significado e compreensão sobre quem somos realmente, é a dimensão espiritual em todos nós.

É também o lado humano que se quer conhecer, encontrar e descobrir para lá do exterior e dos apelos externos. 

Espiritualidade é um caminho e uma filosofia de vida, nem sempre óbvia, mas sempre satisfatória. 

Através dela encontramos respostas e colocamos perguntas que nos trazem melhor e maior conhecimento. 

O sentido existencial vai crescendo através de uma visão holística de quem somos e como somos.

Deixamos de nos ver separados para descobrirmos que todos somos um todo, com ansiedades, necessidades e talentos que se completam e se partilham.

O passo seguinte a esta descoberta é o apelo à transformação e à mudança. 

Sair do jogo do gato e do rato, em que a mente se transforma num ego doente, inquisidor e insatisfeito, para um estado de compreensão, gratidão e amor benevolente, no qual se ganha a coragem de assumir e aceitar que no coração reside a verdadeira força de viver.

O ser humano sente-se incompreendido quando não se reconhece a si mesmo.

Parece-lhe que está em falta, vê mais facilmente o vazio do que a realização.

E a sua procura é uma pesquisa aleatória que dificilmente descobre o que anseia.

Nesse estado, projeta nos outros a sua insatisfação, podendo tornar-se cruel e desumano.

Na verdade, a busca espiritual é o caminho que dentro de cada ser ilumina a sua existência, dá-lhe sentido, motivação e coerência.

O que é então espiritualidade?

Espiritualidade é consciência de si e do outro, da natureza e do coletivo, a um nível profundo e pacífico.

É o subtil, o que faz sentido, através de uma força que apenas se sente e quase não se consegue descrever.

E, no entanto, aqueles que procuram a sua verdadeira natureza espiritual, conseguem descrevê-la de forma clara.

Porquê?

Porque a conhecem através das suas conquistas, da gratidão e do significado que conseguem retirar de cada acontecimento nas suas vidas.

Na base da espiritualidade está o amor, a gratidão e a cooperação. Estas três forças são suficientes para mudar o mundo. Na sua simplicidade, são os poderosos aliados da felicidade global.

Os seus significados são amplos, mas resumem-se facilmente:

AMOR

GRATIDÃO

COOPERAÇÃO

É a cola que une tudo o que está desunido.

Amor é a universalidade, pacífica e transparente.

Mas nós, seres humanos, temos medo do verdadeiro amor e aprendemos a compartimentá-lo, achando que há vários tipos de amor.

Mas não, amor é só um, que vivenciamos de várias maneiras, conforme o tipo de relacionamento que estabelecemos com os outros.

O amor universal reside sempre no centro da existência, o coração, e daí irradia em todas as direções.

As diferenças são criadas na mente e por isso, não podemos partilhar o amor universal, porque não o reconhecemos.

Agora é o tempo de redescobrir o amor e pô-lo em ação, pois sabemos todos que é o amor que tem a força de vencer!

A ciência humana já descobriu o poder da gratidão no cérebro humano, e a sua prática está recomendada nas mais variadas disciplinas da vida.

Ser grato é não julgar e apenas reconhecer que cada experiência, boa ou má, é uma oportunidade de conhecimento e crescimento.

Com o poder da gratidão, aprende a valorizar e separar as suas experiências, e a fazer escolhas de maneira adequada.

Além disso, ser grato abre novas oportunidades e traz-lhe o que merece, porque é uma energia catalisadora.

Fazer um diário de gratidão é uma excelente forma de conhecer o que valoriza e o que desvaloriza.

Já experimentou?

 

A cooperação representa a unidade entre as diferentes formas de vida.

Pessoas, animais, minerais ou vegetais, todos convivemos através do mesmo ar, da mesma atmosfera e no mesmo planeta.

Somos, portanto, seres cooperantes.

Mas o consumo baseado em ego e não em cooperação, afasta as pessoas e desencadeia sentimentos de separação e privação, que nunca estão saciados e vivem loucamente à procura de aprovação.

A sociedade consome sem significado e cria necessidades umas atrás das outras, porque não se vê a si mesma como cooperante.

Os riscos que se correm com este panorama estão largamente documentados, no planeta, na pobreza e na guerra. Até quando?

Há uma dimensão espiritual em todos nós.

É aquela parte que procura significado e compreensão sobre quem somos realmente. 

Quando uma maioria pesquisar a descoberta da sua dimensão mais subtil, onde o amor, a gratidão e a cooperação aguardam pelo despertar da sua espiritualidade, o planeta poderá regenerar-se, a humanidade ser abundante e saudável e a vida ser alegria e paz puras.

Quem me dera ter uma data para celebrar esse acontecimento!

No tempo que vivemos, o despertar da espiritualidade é um passo para se manter com saúde mental e emocional.

Agende uma conversa comigo, de forma totalmente grátis, para saber mais sobre este assunto.

Grata por estar aqui comigo. Tenha um dia feliz! 

Os artigos mais recentes

Aventuras no Quénia: o inesperado nas férias

Não estava incluída a inesperada escuridão do céu, e a sua intensa e tensa tempestade no Lago Naivasha, que quase nos custou a vida, quando, há um ano, em Julho 2021, esta viagem ao Quénia foi pensada. Um ano depois, em Agosto 2022, concretizou-se. Dos 20 dias, trouxe infinitas recordações e vivências, da pequena parte que pude visitar, deste país de 56 milhões de habitantes. Tinha estabelecido alguns objetivos de partida: Conhecer a savana africana, respirando a sua energia e a comunhão com os animais no seu habitat natural e espontâneo. Respirar a natureza autêntica ligando-me à força da mãe

Ler Mais »

Há uma dimensão espiritual em todos nós

Aquela parte que procura significado e compreensão sobre quem somos realmente, é a dimensão espiritual em todos nós. É também o lado humano que se quer conhecer, encontrar e descobrir para lá do exterior e dos apelos externos.  Espiritualidade é um caminho e uma filosofia de vida, nem sempre óbvia, mas sempre satisfatória.  Através dela encontramos respostas e colocamos perguntas que nos trazem melhor e maior conhecimento.  O sentido existencial vai crescendo através de uma visão holística de quem somos e como somos. Deixamos de nos ver separados para descobrirmos que todos somos um todo, com ansiedades, necessidades e talentos

Ler Mais »

Ontem foi dia do Círculo de Cura e a Coragem esteve presente

Ontem foi dia do Círculo de Cura. Como todas as quartas-feiras às 21h. No período de partilha falou-se de Coragem. E da importância de refletirmos com coragem sobre as nossas escolhas. A Ana recordou o tempo em que corajosamente os portugueses se lançaram ao mar. E conquistaram um novo conhecimento dado ao mundo e um progresso sem igual ao nosso país. E a questão óbvia foi feita: “Continuam os portugueses de agora tão corajosos como os do século XV?” A resposta a esta pergunta não é unanime. E isso também não é importante. O importante é o tempo que vivemos

Ler Mais »