Coaching,  Inspiração,  Liderança

Perde-se demasiado tempo a procurar porque o mais evidente não se vê

É sem dúvida incontornável que a pandemia obrigou a um repensar completo, em todos os aspectos da organização humana.

Esta mudança não tem um final previsto e baseia-se na capacidade de adaptação e resiliência.

A vulnerabilidade das escolhas, assenta na agilidade de as transformar em cada momento, com os olhos postos num horizonte desapegado do ontem e que se ajusta constantemente ao caminho da incerteza.

Para quem vivia preso à sua zona de conforto, este tempo será de sofrimento e medo, com consequências na redução da confiança e um mindset assustado e fragilizado.

Como em tudo, pode-se ficar ou avançar para novo rumo. Cada escolha terá resultados diferentes, mas acredito que a veia conquistadora dos portugueses vai desbravar horizontes de descoberta, num percurso que se quer estruturado e firme.

Gosto de pensar na ordem natural da vida como uma rede, com cada ponto ligado entre si, numa trama que se movimenta e na qual o princípio causa-efeito é determinante para o seu equilíbrio.

Sendo natural, se essa ordem for alterada, os efeitos podem ser devastadores, como o exemplo da extinção das espécies.

Fruto de muita experiência, observei que o ser humano mobiliza, de forma sistemática, três pilares do seu ser natural: energia, foco e visão.

O que são os pilares Energia, Foco, Visão

A energia, diz respeito aos recursos do corpo, o foco à qualidade daquilo em que acredita e a visão ao idealismo das metas.

Estes três pilares podem parecer confusos, mas uma vez que se olha para eles de forma independente, e se desenvolvem e empoderam, com sistematização e direcção apropriada, os resultados são surpreendentes e extraordinários.

Potenciar o desempenho

Primeiro, a energia. Pensar, falar ou agir influencia a qualidade e quantidade da energia de que dispomos, assim como a forma como a usamos.

A boa energia é ganha pela qualidade dos ritmos diários, pela alimentação, actividade, relações interpessoais e pela forma como gerimos a nossa existência.

A energia é o combustível que mobiliza uma pessoa para a felicidade ou a destruição.

Em segundo lugar, o foco, associado ao mindset, é rei.

As forças, valores e a inteligência emocional, associadas à construção do sistema de crenças individual e à interpretação do mundo, são o suporte das escolhas ao longo da vida. Por isso, este pilar tem uma importância decisiva na produção de resultados.

Por último, a visão de um objectivo ou meta não pode ser aleatória. Bem diz aquele ditado “se não souberes para onde queres ir, irás para qualquer lado”, incluindo para onde não quer ir.

Antes de traçar o caminho a percorrer, importa desenvolver a visão adequada, seguida da estratégia, devidamente consolidada e sustentada pelos 2 pilares anteriores.

O ser humano é um sistema complexo, que desempenha várias funções, todas elas mobilizando recursos naturais comuns. Seja nas suas funções internas biológicas e fisiológicas, como nas exteriores, há todo um ritmo que impulsiona o princípio causa/efeito.

Mobilizar adequadamente os recursos naturais, extraindo deles o seu valor e potencialidades, expõe as medidas e os ajustes necessários, que conduzem à libertação dos talentos humanos, de forma sustentada e firme, alavancando o desempenho. 

O futuro aguarda novas soluções. Claramente, os melhores recursos estão já em cada pessoa.

O segredo é despertá-los de forma adequada, empoderá-los na direcção certa e criar engagement entre todos, para que haja um sentir e um fazer alinhados.

Quando isto acontece, resultados extraordinários são visíveis.

Este artigo foi publicado na Líder Magazine, em 23 Abril, 2021. Para aceder à publicação inicial, vá aqui